Resenha de Cartas de Amor aos Mortos

IMG_20151109_113356 (2)

Autora: Ava Dellaira                              Editora: Seguinte

Cartas de amor aos mortos foi um livro que despertou minha curiosidade, devido a história ser contada através de cartas, no começo tinha receio que faltassem detalhes ou que a história se perdesse, pulando no tempo, porém, tive uma boa surpresa. Ava Dellaira conseguiu tratar temas fortes, como morte, luto, separação e outros, que vou manter segredo (nada de spoiler hahaha) com de um jeito simples e delicado e ao mesmo tempo emocionante e que nos faz refletir. Vejam a sinopse:

Tudo começa com uma tarefa para a escola: escrever uma carta para alguém que já morreu. Logo o caderno de Laurel está repleto de mensagens para Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Heath Ledger, Judy Garland, Elizabeth Bishop… apesar de ela jamais entregá-las à professora. Nessas cartas, ela analisa a história de cada uma dessas personalidades e tenta desvendar os mistérios que envolvem suas mortes. Ao mesmo tempo, conta sobre sua própria vida, como as amizades no novo colégio e seu primeiro amor: um garoto misterioso chamado Sky.
Mas Laurel não pode escapar de seu passado. Só quando ela escrever a verdade sobre o que se passou com ela e com a irmã é que poderá aceitar o que aconteceu e perdoar May e a si mesma. E só quando enxergar a irmã como realmente era — encantadora e incrível, mas imperfeita como qualquer um — é que poderá seguir em frente e descobrir seu próprio caminho.

Quando Laurel perde sua irmã May e sua mãe vai embora para lidar com o luto sozinha, ela decide mudar de escola e deixar para trás o passado e os sentimentos de pena que despertava em seus amigos, se dividindo entre morar com seu pai, desolado devido à morte de May, e com sua tia super protetora e religiosa, Laurel tenta lutar com suas dúvidas a respeito da morte de sua irmã, com a dificuldade se enturmar em uma escola nova e fazer um trabalho escolar pedido pela professora de inglês, que consiste em escrever uma carta a alguém que já morreu.

Apesar de não entregar a professora, em pouco tempo Laurel tem um caderno cheio de cartas a famosos mortos que ela admira como Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Heath Ledger, Judy Garland, Elizabeth Bishop e que de alguma forma a ajudam a lidar com seus problemas.

Outras pessoas que a ajudam nessa fase difícil, são seus novos amigos Hannah, Natalie, Kristen e Tristan e Sky, um menino quieto e misterioso por quem Laurel se apaixona.

No geral gostei dos personagens, porém, quem me decepcionou um pouco foi Sky, algumas vezes ele simplesmente sumia da história ou fazia algo e parecia que não estava nem aí para a menina, quando ele sumia até esquecia que de sua existência, a autora poderia ter escolhido entre colocá-lo de vez na história, fazendo com que tivesse mais importância ou deixá-lo de fora, pois acho que Laurel se daria bem sem ele, afinal dá pra viver sem namorado né?! Rsrs

Conclusão? Com seus pontos positivos e negativos eu indico esse livro, é uma história interessante e que me emocionou em alguns trechos, acho que vale a pena ler!

“(…)Mas talvez o garotinho que precisava de alguém para protegê-lo nunca tenha ido embora. É possível ser nobre, corajoso e lindo e ainda assim desabar. Pág. 226

Por Amanda Padovan

Anúncios

18 comentários sobre “Resenha de Cartas de Amor aos Mortos

  1. Não sabia que esse livro era escrito por cartas, adorei a ideia! E tb acho chato quando o autor esquece que um personagem existe.
    Não leria o livro se fosse só pelo título e capa, mas sua resenha me deixou curiosa.
    Coloquei na lista.
    Beijão, Mari Scotti

    Curtido por 1 pessoa

  2. Olá, tudo bem.
    Engraçado como nos enganamos com os títulos, achei algo totalmente mais voltado para o espírita quando vi a capa desse livro e não imaginava o conteúdo, não tinha me interessado até então.
    Agora com sua resenha e por ser fã da maioria dos artistas para quem ela escreveu a carta me deu muita curiosidade.
    Beijos e parabéns pela resenha.

    Giuliana

    Curtido por 1 pessoa

  3. Esse livro, pra mim, representou muito a nossa capacidade de lidar com a culpa. Em todo momento ela está presente, e como eu também estava em um momento em que precisa lidar com a culpa, esse livro significou muito pra mim. Ele tem um desfecho inesperado e doloroso, mas é isso que torna a história tão real e próxima de nós.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s