Resenha “A MELHOR COISA QUE NUNCA ACONTECEU NA MINHA VIDA”

O primeiro amor, uma segunda chance.

IMG_0790

Autores: Laura Tait; Jimmy Rice.

Editora: Quinta Essência.

Sinopse oficial:

“Holly e Alex têm uma amizade parecida com a de muitas pessoas. Amigos inseparáveis desde a infância, mas que nunca tiveram coragem de revelar os sentimentos um pelo outro com medo de estragar a amizade.

O tempo passou e a vida de cada um acabou tomando rumos diferentes. Até que, onze anos depois, eles voltam a se encontrar por acaso.

E agora? Será que a amizade voltará a ser como antes? E o que restou daquele amor também retornará?”

“A melhor coisa que nunca aconteceu na minha vida” é o típico livro sobre o primeiro amor, palavras não ditas, conclusões precipitadas e desilusão amorosa. Holly e Alex são melhores amigos desde a infância, um é apaixonado pelo outro, mas é claro que o outro não sabe e não vai ficar sabendo tão cedo.

Quando eu comecei a ler esse livro, logo me lembrei de Simplesmente Acontece, a amizade de Alex e Rosie é bem parecida com a de Holly e Alex (deu para perceber que o nome Alex é bem enrolado, não é?), e os dois casais enfrentam os mesmos obstáculos. Parece que nunca vão ficar juntos e que o destino só está brincando com eles. No início você vê Holly determinada a revelar seus sentimentos, mas é lógico que não dá certo, Alex está mudado da noite para o dia e não parece mais ser aquele garoto por quem ela se apaixonou. Desiludida ela resolve seguir com sua vida e nunca mais fala com o rapaz.

Até que onze anos depois seus caminhos voltam a se encontrar quando Alex se muda para Londres e em busca de um rosto conhecido na cidade grande, Alex aceita reencontrar Holly. Mas será que ainda é a mesma coisa? Alex ainda é aquele garoto certinho que gosta de corrigir as pessoas quando elas falam errado? Holly viajou o mundo inteiro como sempre sonhou em fazer? Eles ainda nutrem sentimentos um pelo outro? Para o alívio de ambos a amizade parece nunca ter sofrido uma pausa de onze anos. Ainda possuem a cumplicidade dos amigos de infância e aquela chama da primeira paixão parece não ter se apagado.

“Chamam isso de “aquela que escapou”, não é? – a pessoa que nunca desaparece completamente dos seus pensamentos.” Página 36.

Essa angustia de saber como os dois vão ficar depois de tantos anos faz com que você vire as páginas do livro até chegar ao fim. Você não percebe, mas torce para que os dois fiquem juntos logo.  Você odeia o Richard, atual namorado/chefe da Holly que não a reconhece como namorada e prefere manter tudo em segredo, e torce o nariz para todas as pretendentes de Alex, principalmente a nojenta da Melissa. Até o fim parece que nada vai dar certo, você chega a acreditar que o destino dos dois é realmente ficarem separados, sendo apenas amigos.

 “A melhor coisa que nunca aconteceu na minha vida” é sobre ter sempre a esperança de que o que você deseja está predestinado a ser seu, é sobre as escolhas que fazemos na nossa vida e como elas nos afetam para sempre, a descoberta de si mesmo e se onde estamos agora é exatamente aonde deveríamos estar, mas a lição primordial é: se o destino está te dando uma segunda chance, não a deixe escapar.

Por Bárbara Nakano

Anúncios

Um comentário sobre “Resenha “A MELHOR COISA QUE NUNCA ACONTECEU NA MINHA VIDA”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s