Resenha de Exorcismo

Olá nerds!!

Sei que demorei muito pra postar de novo, mas tive alguns problemas, inclusive com a minha internet, só agora consegui resolver e espero colocar tudo em ordem!

Bom, e estou voltando com resenha!
E o livro da vez é o Exorcismo, de Thomas B. Allen, da DarkSide Books.

img_5768

Sinopse:
Se a ficção consegue ser tão assustadora, imagine o poder contido na história real? Muitos não sabem, mas a obra-prima de W. Peter Blatty, O Exorcista, não se trata de uma invenção. Ela foi inspirada num fenômeno ainda mais sombrio, desses que a ciência não consegue explicar: um exorcismo de verdade.
A história real aconteceu em 1949, e você pode conhecê-la — se tiver coragem! — no livro EXORCISMO, do jornalista Thomas B. Allen, lançamento da DarkSide Books em 2016. Exorcismo narra em detalhes os fatos que aconteceram com Robert Mannheim, um jovem norte-americano de 14 anos que gostava de brincar com sua tábua ouija, presente que ganhou de uma tia que achava ser possível se comunicar com os mortos.
Thomas B. Allen contou com uma santa contribuição para a pesquisa do seu trabalho. Ele teve acesso ao diário de um padre jesuíta que auxiliou o exorcista Bowdern. Como resultado, seu livro é considerado o mais completo relato de um exorcismo pela Igreja Católica desde a Idade Média. Os investigadores paranormais Ed e Lorraine Warren definiram a obra de Thomas B. Allen como “um documento fascinante e imparcial sobre a luta diária entre o bem e o mal”.
O livro conta a história de Robert Mannheim que é apresentado à uma tábua Ouija pela tia Harriet, uma espiritualista muito interessada no assunto, e inocentemente o garoto brinca com ela. Após a morte da tia, barulhos estranhos começam a ser ouvidos na casa, torneiras pingando, arranhões no colchão, passos pelo quarto, batidas na parede e, ao que tudo indica, é Harriet querendo se comunicar. Porém tudo começa a ficar mais assustador quando Robbie parece estar sendo perseguido pelos fenômenos e o garoto começa a agir de modo estranho.
É nesse momento que a família procura ajuda da igreja e de vários padres, e a partir daí começa a luta para que um exorcismo seja feito e o menino fique livre dessa situação assustadora.
“Anteriormente, uma força estivera atormentando o menino de fora, mas, agora, a força parecia estar dentro dele, se manifestando ao emergir do seu corpo em linhas sangrentas.” Pág. 3
img_5770
O livro é muito interessante e a narração não é romantizada, baseado em uma história real, o jornalista que escreveu o livro teve um belo trabalho de pesquisa e procura de material, inclusive no final do livro o autor anexou uma cópia do diário que um dos padres envolvidos no exorcismo escreveu, nele é relatado diariamente os acontecimentos ocorridos durante a possessão. Exorcismo parece mais com um documentário, o autor descreve detalhadamente os fatos, incluindo várias informações interessantes, especialmente para quem não é católico, como eu, e não tem conhecimento dos costumes do catolicismo.
Achei o tema muito interessante, eu adoro terror, tanto livros quanto filmes, acho que já disse isso várias vezes aqui, mas sempre tive medo de filmes e livros sobre exorcismo, eu não sei o porquê, mas imaginar alguém ser possuído por um espírito maligno, por um demônio me deixa apavorada, mas quando vi essa edição não resisti! Aí a curiosidade me pegou de jeito e não consegui fugir, até me surpreendi, porque achei a leitura bem tranquila, não senti o medo que esperava sentir, na verdade fiquei super interessada pela história do garoto. A leitura fluiu rapidamente e a história prendeu minha atenção.
Se você gostou do livro ou do filme O Exorcista deve ler Exorcismo, pois a história foi baseada no caso do menino Robbie, ou se você tem interesse por assuntos como possessões, fenômenos sobrenaturais e demônios, o livro é uma ótima leitura também!
Ah, e não tem como não falar do magnífico trabalho da DarkSide também, a edição está maravilhosa! A capa dura, as contracapas são como tábuas Ouija e o marcador parece a peça da tábua, é simplesmente perfeito!

img_5769
“Em nosso mundo, no mundo de Phyllis Mannheim, a possessão é coisa de pesadelos. Porém, em outras culturas, é uma realidade diária, uma crença compartilhada por todos na comunidade.” Pág. 47
Até mais!
Por Amanda Padovan
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s