QUOTES – PEQUENAS GRANDES MENTIRAS

pequenas grandes mentiras

“Champanhe nunca é um erro. Esse sempre fora o mantra de Madeline.

Mas, depois, Madeline se perguntou se só daquela vez poderia ter sido um errinho de julgamento. Não porque estivessem bêbadas. Não estavam. Era porque quando as três entraram na escola, rindo juntas (Madeline tinha decidido que não queria ficar no carro e deixar de ver Chloe sair, então foi pulando, pendurada nos braços delas), deixavam um rastro do inconfundível cheiro de festa.

As pessoas nunca gostam de perder uma festa.” Pág. 40.

“Poderia esperar os filhos terminarem o ensino médio para deixar o marido.

Esta seria a hora certa. No dia em que eles terminassem as últimas provas. “Guardem as canetas”, diriam os supervisores da prova. E então Celeste daria fim ao casamento.” Pág. 56.

“Talvez ela pudesse ficar. Era sempre um alívio muito grande quando ela se permitia acreditar que podia ficar.” Pág. 63.

“Ela o amava tanto quanto o odiava? Odiava-o tanto quanto o amava?” pág. 70.

“Ela viu o olhar envergonhado de reconhecimento dele. Perry sabia exatamente por que tinha doído tanto. Haveria mais uma belíssima joia em sua mala quando ele voltasse de Viena. Mais uma para a sua coleção. Ela nunca a usaria, e ele nunca perguntaria por quê.” Pág. 73.

“Era só um pequeno problema de relacionamento de resto perfeito. Toda relação tinha pequenos problemas. Seus altos e baixos.” Pág. 124.

“Digitou as palavras “terapeuta de casal” no Google.

Então parou. Apagou as palavras. Não. Já havia tentado isso. Não era uma questão de trabalho doméstico e mágoas. Ela precisava falar com alguém que soubesse que as pessoas agiam daquela forma; alguém que fizesse as perguntas certas.

Ela sentia as bochechas queimando quando digitou as duas palavras vergonhosas: “violência” “doméstica”. Pág. 148.

“– É porque toda a autoestima de uma mulher é baseada em sua aparência – disse Jane. – Por isso. É porque a gente vive em uma sociedade obcecada pela beleza, na qual a coisa mais importante que a mulher pode fazer é ser atraente para o homem.” Pág. 172.

“Talvez tenha sido um acordo tácito instantâneo entre as quatro mulheres na varanda. Nenhuma mulher deve pagar pela morte acidental daquele homem. Talvez fosse uma reação automática, decorrente de milhares de anos de violência contra a mulher. Talvez tenha sido por todos os estupros, todas as bofetadas violentas, todos os Perrys que existiram antes daquele.” Pág. 373.

“- Eu mentiria por você – disse Celeste. – Sei mentir.

– Eu sei que você sabe. – Os olhos de Bonnie estavam brilhando. – Acho que você deve ser muito boa nisso também. – ela deu um passo para frente e pôs a mão no braço de Celeste. – Mas agora você pode parar.” Pág. 381.

Por Bárbara Nakano

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s