Resenha de O Demonologista – Andrew Pyper

img_7514

Autor: Andrew Pyper        Editora: DarkSide Books

Sinopse:

O personagem que dá título ao best-seller internacional é David Ullman, renomado professor da Universidade de Columbia, especializado na figura literária do Diabo – principalmente na obra-prima de John Milton, Paraíso Perdido. Para David, o Anjo Caído é apenas um ser mitológico.

Ao aceitar um convite para testemunhar um suposto fenômeno sobrenatural em Veneza, David começa a ter motivos pessoais para mudar de opinião. O que seria apenas uma boa desculpa para tirar férias na Itália com sua filha de 12 anos se transforma em uma jornada assustadora aos recantos mais sombrios da alma.

Enquanto corre contra o tempo, David precisa decifrar pistas escondidas no clássico Paraíso Perdido, e usar tudo o que aprendeu para enfrentar O Inominável e salvar sua filha do Inferno.

David é um professor de literatura inglesa da Universidade de Columbia, especialista na obra de John Milton. Sempre foi um homem diferente, calado e melancólico, parecia ser perseguido pela nuvem negra da depressão. Tem uma filha chamada Tess, que é com quem tem uma sintonia incrível, mas o bom relacionamento que tem com a filha não se parece em nada com o que tem com a mulher. David está a ponto de se separar, sua esposa o trai com outro professor da Universidade e o culpa pela separação, por ser tão quieto e pela falta de atenção.

Continuar lendo

Anúncios

Quotes de Garota, Interrompida

img_7200

“Um raciocínio perverso. Por trás dessa perversidade, porém, eu sabia que não estava louca e que eles não poderiam me manter trancafiada em um hospício.” Pág. 53

“Era a nossa vida medida em doses pouco maiores do que as benditas colherinhas de café. Colheres de sopa, talvez? Colheres de lata, amassadas, transbordantes de algo que devia ser doce, mas era amargo e se esvaía, se derramava sem que pudéssemos sentir seu sabor: nossas vidas.” Pág. 68

“Talvez eu apenas flertasse com a loucura, como flertava com meus professores e colegas. Não estava convencida da minha loucura, embora temesse estar louca. Há que diga que ter uma opinião consciente sobre o problema é um indício de sanidade, mas não sei ao certo se é assim. Ainda penso nisso. Sempre terei de pensar nisso.” Pág. 176

“Dessa vez, li o título da pintura: Garota interrompida em sua música.
Interrompida em sua música: tal qual acontecera com a minha vida, interrompida durante a música dos 17 anos, tal qual a vida dela, roubada e presa a uma tela; um momento congelado no tempo mais importante que todos os outros momentos, quaisquer que fossem ou viessem a ser. Quem pode se recuperar disso?” Pág. 187

“A garota e sua música vivem em outro tipo de luz, a luz caprichosa e encoberta da vida, que só permite que nos vejamos e aos outros imperfeitamente, e raras vezes.” Pág 188

Por Amanda Padovan

Resenha de Boa Noite – Pam Gonçalves

img_7167

Autora: Pam Gonçalves           Editora: Galera Record

Sinopse:

Alina quer deixar seu passado para trás. Boa aluna, boa filha, boa menina. Não que tudo isso seja ruim, mas também não faz dela a mais popular da escola. Agora, na universidade, ela quer finalmente ser legal, pertencer, começar de novo. O curso de Engenharia da Computação – em uma turma repleta de garotos que não acreditam que mulheres podem entender de números -, a vida em uma república e novos amigos parecem oferecer tudo que Alina quer. Ela só não contava que os desafios estariam muito além da sua vida social. Quando Alina decide deixar de vez o rótulo de nerd esquisitona para trás, tudo se complica. Além de festas, bebida e azaração, uma página de fofocas é criada na internet, e mensagens sobre abusos e drogas começam a pipocar. Alina não tinha como prever que seria tragada para o meio de tudo aquilo nem que teria a chance de fazer alguma diferença. De uma hora para outra, parece que o que ela mais quer é voltar para casa.

Alina é um exemplo de filha e aluna, mas nunca teve muitos amigos e nem era popular na escola, agora a menina vai para a faculdade, vai morar sozinha e espera mudar isso. E logo na república em que vai morar, Alina conhece amigos loucos e fantásticos!

Continuar lendo

Resenha de Garota, Interrompida

Não saber o que quer ser não é uma opção.

img_7200

Autora: Susanna Kaysen     Editora: Única

Sinopse:

Quando a realidade torna-se brutal demais para uma garota de 18 anos, ela é hospitalizada. O ano é 1967 e a realidade é brutal para muitas pessoas. Mesmo assim poucas são consideradas loucas e trancadas por se recusarem a seguir padrões e encarar a realidade. Susanna Kaysen era uma delas. Sua lucidez e percepção do mundo à sua volta era logo que seus pais, amigos e professores não entendiam. E sua vida transformou-se ao colocar os pés pela primeira vez no hospital psiquiátrico McLean, onde, nos dois anos seguintes, Susanna precisou encontrar um novo foco, uma nova interpretação de mundo, um contato com ela mesma. Corpo e mente, em processo de busca, trancada com outras garotas de sua idade. Garotas marcadas pela sociedade, excluídas, consideradas insanas, doentes e descartadas logo no início da vida adulta. Polly, Georgina, Daisy e Lisa. Estão todas ali. O que é sanidade? Garotas interrompidas.

O livro conta sobre os dois anos que Susanna, a autora, passou em um hospital psiquiátrico. Com 18 anos, a garota que pensava em suicídio às vezes, e chegou a tentar uma vez, é aconselhada pelo terapeuta a se internar, bom, acho que aconselhada não é a palavra certa, pressionada talvez seja melhor.

E é no hospital psiquiátrico McLean que Susanna conhece várias outras garotas, cada uma com sua história e seus problemas, e lá as meninas viviam um tipo de realidade paralela, era um lugar onde não precisavam se preocupar com contas, trabalho e obrigações. Conhecemos alguns tipos de tratamentos de 1967, como o tratamento de choque, que me deixou aterrorizada, além de outras situações cotidianas de um lugar desse tipo, como crises, gritos e fugas.

Muitas vezes fiquei pensando se a protagonista era doente mesmo, já que parecia tão normal, algumas de suas frases nos fazem pensar se não somos todos um pouco loucos, ou se temos, algumas vezes, pensamentos loucos, outras vezes sentia que o hospital piorava seu estado, fazia com que pensasse em coisas estranhas, como duvidar que realmente possui ossos nas mãos.

“Um raciocínio perverso. Por trás dessa perversidade, porém, eu sabia que não estava louca e que eles não poderiam me manter trancafiada em um hospício.” Pág. 53

Depois de ver o filme fiquei muito interessada em ler o livro que o inspirou e quando descobri que era um relato pessoal da autora, aí que não me aguentei de curiosidade, o filme já tinha me impressionado por sua intensidade e o livro não decepcionou nesse quesito, e em nenhum outro! Hahahah

Garota, Interrompida é um livro muito intenso e algumas vezes dramático, um relato tocante e emocionante de uma pessoa que viveu fora do mundo real por dois anos e uma leitura que recomendo!

“Talvez eu apenas flertasse com a loucura, como flertava com meus professores e colegas. Não estava convencida da minha loucura, embora temesse estar louca. Há que diga que ter uma opinião consciente sobre o problema é um indício de sanidade, mas não sei ao certo se é assim. Ainda penso nisso. Sempre terei de pensar nisso.” Pág. 176

Por Amanda Padovan

Quotes de Encontrada – Carina Rissi

img_7068

“Escolher Ian foi simples, natural como respirar. Não dava para viver com o coração batendo fora do peito e morando em outro século. Não havia ninguém que me conhecesse tão bem quanto ele.” Pág. 10

“Eu não quero mais nada. Já tenho tudo, porque tenho você. E é a única coisa que eu quero e preciso: você!” Pág. 41

“Somos apenas nós dois, você e eu, começando uma vida juntos. Vamos errar algumas vezes, acertar outras, mas, se estivermos juntos, tudo acabará bem. É assim que tem que ser. É assim que será. Confie em mim.” Pág. 77

“Juro que é você quem eu esperei. Juro que as batidas do meu coração são para você” Pág. 284

“Sofia você é diferente de um modo extraordinário. Você é extraordinária! É a razão de eu acordar no meio da noite só para me certificar de que ainda está ali, tamanho é o medo que tenho de perdê-la outra vez. É o motivo pelo qual me sinto tão afortunado, é a causa do sorriso estúpido que me estica a boca antes de dormir.” Pág. 292-293

“Você também me deu o mundo, Sofia. – E seu olhar se inflamou. – Você é o meu mundo! Pág. 460

“Meu passado, meu presente, meu futuro…” – Seus dedos cálidos acariciaram minha bochecha enquanto ele proferia a inscrição que eu mandara gravar em seu relógio de bolso. – “Minha vida.” Pág. 462

Por Amanda Padovan

Quotes de A Verdade Sobre Nós

a-verdade-sobre-nos

“Garotas inteligentes não deveriam fazer coisas estúpidas” Pág. 10

“Era isso que você representava para mim. Um brilho de calor em um mundo que parecia tão frio, tão vazio… tão sem sentido. Pág. 43

“Às vezes não se cansa de ter tudo traçado, predestinado, planejado? Só quero viver. Decidir qual caminho tomar quando já estiver ma encruzilhada, sabe? Tacar os mapas no lixo e tirar cara ou coroa.” Pág. 107

Será que eles não entendem isso? Que você nunca me fez mal, como insistem em supor? Eu era melhor por sua causa. Era alguém que importava, alguém que podia ter opinião.” Pág.115

“O caso estava encerrado. Assim como nosso relacionamento. E agora não sei mais o que escrever.” Pág. 189

Por Amanda Padovan

Resenha de Encontrada – Carina Rissi

À espera do felizes para sempre.

img_7068

Autora: Carina Rissi            Editora: Verus

Sofia está de volta ao século dezenove e mais que animada para começar a viver o seu final feliz ao lado de Ian Clarke. No entanto, em meio à loucura dos preparativos para o casamento, ela percebe que se tornar a sra. Clarke não vai ser tão simples quanto imaginava. As confusões encontram a garota antes mesmo de ela chegar ao altar e uma tia intrometida que quer atrapalhar o relacionamento é apenas uma delas. Além disso, coisas estranhas estão acontecendo na vila. Ian parece estar enfrentando alguns problemas que prefere não dividir com a noiva. Decidida, Sofia fará o que estiver ao seu alcance para ajudar o homem que ama. Ela não está disposta a permitir que nada nem ninguém atrapalhe seu futuro. Porém suas ações podem pôr tudo a perder, e Sofia descobre que a única pessoa capaz de destruir seu felizes para sempre é ela própria.

Sofia conseguiu voltar para o século XIX e está tentando se adaptar à vida sem celular, vaso sanitário e anestesia, entre outras coisas, e sobreviver a TPC – Tensão Pré-Casamento, não que ela tenha alguma dúvida sobre seu amor por Ian, pelo contrário, essa é sua única certeza, mas Sofia não consegue se encaixar na vida da época e tem medo de fazer com que Ian e sua irmã Elisa passem vergonha.

Continuar lendo

TAG Literária: #Diferentona

Olá, leitores!
Hoje vou responder a TAG Literária: #diferentona criada pelo blog Entretanto (que não consegui o link, acho que foi desativado), mas vi no blog Leituras e Gatices e adorei!
1. Só eu que li? – Um livro que a maioria das pessoas desconhece, mas você leu.
circulo_1382643434p
 Círculo: Ainda não encontrei ninguém que tenha lido esse livro além de mim! Hahahaah Comprei na Bienal de 2014 por um preço muito bom e gostei da história. Já tem resenha dele aqui no blog.

  2. Só eu que não gostei? – Um livro aclamado, menos por você.
cinquenta-tons-de-cinza-de-e-l-james
Cinquenta tons de cinza: Gente, não consigo me interessar por esse livro! Na época que lançou até tentei ler, já que estava fazendo tanto sucesso, mas não consegui, não gosto muito de livros hot e esse não conseguiu me fazer aguentar nem dois capítulos.

3. Só eu que vi apenas o filme? – Um livro que você quer muito ler, mas só assistiu ao filme.

quarto
Quarto: Eu assisti O Quarto de Jack no cinema e gostei muito da história, por isso tenho muita vontade de lê-lo, mas o tempo ($) ainda não me permitiu! Hahahahahah

 4. Só eu que não li nada dele(a)? – Um autor famoso de quem você nunca leu um livro.

tolkien

J. R. R. Tolkien: É, difícil de acreditar, mas nunca li O Senhor dos Anéis, nem O Hobbit, nem nada.


 5. Só eu que gostei do malvado? – Um livro com um vilão (ou não-herói) pelo qual você torceu mais do que pelo mocinho.
o-resgate-do-tigre
 Kishan de A Saga do Tigre: Aii gente! Pensa em uma escolha difícil, escolher entre Ren e Kishan foi assim! Não sabia se torcia pro irmão bonzinho ou pro mais malvado, que no fundo  é bonzinho também.

 6. Só eu que acho que panela velha é que faz comida boa? – Um livro já desgastado, mas que você ama.
orgulho
Orgulho e Preconceito: Meu livro favorito da vidaaaa! Sou apaixonada pelos livros da Jane Austen, mas esse tem um lugar todo especial no meu coração.

7. Só eu que leio nacionais? – Um autor nacional que você adora.

carina-rissi
 Carina Rissi: Conheci a escrita da autora lendo um conto dela no Livro das Princesas e decidi que precisava ler mais, foi então que conheci Perdida e me apaixonei pela Sofia e pelo Ian, agora quero todos os livros da autora!

8. Só eu que amo clássicos? – Um livro clássico que você gostou.

moreninha
A moreninha: Li quando estava na escola ainda, sabe aquele tipo de livro que você olha e já dá até medo, só porque é clássico e você acha que vai ser chato e te dar sono? Pra mim, era isso que eu sentiria lendo A Moreninha, mas me surpreendi e acabei gostando muito da história.

9. Só eu que li antes de virar filme? – Um livro que foi/vai ser adaptado para o cinema e você leu antes.

como eu era antes de você
Como eu era antes de você: Nessa categoria eu fiquei na dúvida, já que tem uma lista bem grande aqui, poderia responder: A Menina de Roubava Livros, A Culpa é das Estrelas, Crepúsculo, Cidades de Papel, Cidade dos Ossos e vários outros, gosto de ler antes de assistir o filme, mas escolhi esse porque é um queridinho! ❤

10. Só eu que odiei o (a) principal? – Personagem principal que você odiou.

predestinados
Helen Hamilton de Predestinados: Que protagonista sem sal! Não gostei dela, não! Hahahaha
É isso! 😀

Resenha de A verdade sobre nós – Amanda Grace

“Garotas inteligentes não deveriam fazer coisas estúpidas”

a-verdade-sobre-nos

Autora: Amanda Grace      Editora: Intrínseca

Madelyn Hawkins está cansada. Cansada de ser sempre perfeita. Cansada de tirar A em tudo. Cansada de seguir à risca os planos que os pais fizeram para ela. Madelyn Hawkins está cansada de ser algo que não é, algo que não quer ser. E então ela conhece Bennet Cartwright. Inteligente, sensível, engraçado. A seu lado, ela se sente livre e independente. Uma história que poderia muito bem ter um final feliz, não fosse por um detalhe: Maddie tem apenas 16 anos, e Bennet, além de ter 25 anos, é seu professor. Pressionada pelos pais a participar de um programa para jovens talentos, Maddie pula dois anos do Ensino Médio e vai direto para a faculdade, onde conhece e se apaixona pelo professor de biologia. O sentimento é recíproco, e para dar uma chance àquele novo relacionamento que lhe faz tão bem, ela decide não contar para Bennet sua idade. Não demora muito para que as coisas comecem a dar errado, e as consequências da farsa de Maddie ganham contornos devastadores quando a verdade vem à tona.

Madelyn era a garota perfeita: muito inteligente, talentosa, obedecia cegamente as instruções dos pais e estava na faculdade, mesmo tendo apenas 16 anos. Porém, apesar de toda essa “perfeição”, Maddie não se sente feliz, sente que não está sendo ela mesma e nem que está tomando o caminho que gostaria de seguir.

E quando Maddie conhece Bennet Cartwright, seu professor de biologia da faculdade, fica completamente apaixonada, sua alegria é maior ainda quando ela percebe que Bennet também está atraído por ela. Com medo de estragar esse relacionamento, a garota decide omitir sua idade, mas nunca imaginou que isso pudesse acarretar sérios problemas para os dois.

“Era isso que você representava para mim. Um brilho de calor em um mundo que parecia tão frio, tão vazio… tão sem sentido. Pág. 43

A autora escreve o livro em forma de carta e isso foi uma das coisas que mais gostei, é como se Maddie estivesse mesmo contando tudo o que sentiu à Bennet.

Gostei dos temas abordados no livro, acho que são assuntos com que acabamos convivendo e que geram muita discussão, como a pressão dos pais, o medo de decepcionar e uma paixão proibida, porém não consegui me conectar com os personagens, achei vários momentos fofos, mas não me via torcendo por eles, além disso me decepcionei com algumas atitudes, principalmente no final, mas vou parar de falar para não dar spoiler! Hahahahaha

Apesar de tudo, foi uma leitura rápida, e como já disse, me rendeu vários suspiros com os momentos fofos, então ainda indico pra uma tarde tranquila, só não comece com muitas expectativas.

Será que eles não entendem isso? Que você nunca me fez mal, como insistem em supor? Eu era melhor por sua causa. Era alguém que importava, alguém que podia ter opinião.” Pág.115

Por Amanda Padovan