Resenha Convite para um homicídio – Agatha Christie

Autora: Agatha Christie

Sinopse:

Durante uma manhã no vilarejo inglês de Chipping Cleghorn, um anúncio no jornal convida à todos para presenciar um homicídio. Pensando ser apenas um jogo de detetive, os vizinhos comparecem em peso. Em meio a passados e jogos de aparências, o cenário descortinado busca revelar que ninguém é o que parece ser. Para resolver o mistério, a polícia conta com Miss Jane Marple. Por trás dos cabelos brancos e das agulhas de tricô, a velhinha tem conhecimento do ser humano e das atrocidades de que ele é capaz.

A história começa no calmo vilarejo de Chipping Cleghorn, quando em uma manhã um estranho anúncio aparece no jornal, é um convite, mas não para uma festa e sim para um homicídio. Curiosos, mas pensando se tratar de um jogo de detetive, muitos vizinhos aparecem, o que eles não esperavam era que alguém realmente morreria naquela tarde.

Com poucas pistas e muitos suspeitos, a polícia recorre a ajuda de Miss Jane Marple para resolver o caso e vão descobrir que ninguém é quem parece ser.

Convite para um homicídio é um livro cheio de mistério e reviravoltas, daqueles que você cria 1001 suposições em sua cabeça para ver que nenhuma delas estava certa. A leitura flui muito bem e se torna muito rápida. Mais uma vez a rainha do crime Agatha Christie me surpreendeu, já virei fã!!!

Por Amanda Padovan

Anúncios

Resenha – Tartarugas até lá embaixo – John Green

IMG_1763

Autor: John Green              Editora: Intrínseca

Sinopse:

Depois de seis anos, milhões de livros vendidos, dois filmes de sucesso e uma legião de fãs apaixonados ao redor do mundo, John Green, autor do inesquecível A culpa é das estrelas, lança o mais pessoal de todos os seus romances: Tartarugas até lá embaixo. A história acompanha a jornada de Aza Holmes, uma menina de 16 anos que sai em busca de um bilionário misteriosamente desaparecido – quem encontrá-lo receberá uma polpuda recompensa em dinheiro – enquanto lida com o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC). Repleto de referências da vida do autor – entre elas, a tão marcada paixão pela cultura pop e o TOC, transtorno mental que o afeta desde a infância -, Tartarugas até lá embaixo tem tudo o que fez de John Green um dos mais queridos autores contemporâneos. Um livro incrível, recheado de frases sublinháveis, que fala de amizades duradouras e reencontros inesperados, fan-fics de Star Wars e – por que não? – peculiares répteis neozelandeses.

Finalmente um dos meus autores preferidos, lança mais um livro, depois de anos! Em sua obra mais recente, John Green conta a história de Aza Holmes, uma adolescente que além de lidar com os problemas normais dos jovens da sua idade, ela precisa lidar com o TOC (Transtorno obsessivo compulsivo) que a acompanha desde criança.

Quando o pai milionário de um dos seus amigos de infância desaparece, ela e Daisy, sua melhor amiga, decidem ajudar a encontrá-lo e receber uma gorda recompensa. E essa busca se mostra muito mais complexa quando percebe que além de encontrar uma pessoa desaparecida, precisa entender seus sentimentos, lidar com seus problemas, medos e com o TOC.

“O verdadeiro terror não é ter medo, é não ter escolha senão senti-lo.” (pág. 28)

Tartarugas até lá embaixo é um livro lindo, mas angustiante também. Ava nos mostra como sua cabeça funciona, como seus medos e pensamentos se tornam um espiral interminável que faz com que só o que consiga pensar seja nos micróbios e bactérias que entram em contato com seu corpo em um simples beijo ou em um almoço, que provavelmente levarão a uma infecção e a morte. Pode parecer bobo, mas na cabeça dela essa possibilidade é real e faz com que todos os seus pensamentos sejam direcionados a isso. E você consegue imaginar como isso é difícil? Como pode fazer a pessoa que convive com isso ter problemas em seus relacionamentos, ou em suas tarefas diárias?

Enfim, apesar do mistério do desaparecimento de uma pessoa, o ponto alto do livro é a luta diária da protagonista para conviver com o TOC e mesmo assim manter uma vida boa com sua família, amigos, escola. Ah, e sabem quem convive com o TOC?? O próprio autor! John Green sofre com o transtorno e viu no livro a possibilidade de expressar o que sentia.

Preciso dizer mais alguma coisa? Não né? Tartarugas até lá embaixo é um livro emocionante e encantador, um dos meus preferidos do autor, já foi pra minha lista de favoritos da vida!!! Ah, e vocês vão entender o porquê do título do livro durante a leitura! 😀

“No fundo ninguém entende o que se passa com o outro. Está todo mundo preso dentro de si mesmo.” (pág. 228)

Por Amanda Padovan