Resenha de Conversando com os Espíritos

IMG_9650

Autor: James Van Praagh     Editora: Sextante

Com a rara habilidade de interligar o mundo físico e o espiritual, James Van Praagh proporciona imenso conforto àqueles que perderam seus entes queridos, trazendo mensagens inspiradoras e desvendando os mistérios da vida após a morte. Em Conversando com os espíritos, você conhecerá histórias de pessoas que, com a ajuda do autor, conseguiram fazer contato com parentes mortos e deram novos rumos a suas vidas – como a mãe que ouviu do filho um pedido de desculpas pelo próprio suicídio e o reencontro de um homem com sua esposa falecida, no quinquagésimo aniversário de casamento. Além de surpreendentes relatos como esses, Van Praagh conta a sua jornada em busca do autoconhecimento. Ainda na juventude, ele descobriu a capacidade de se comunicar com os mortos. Aqui ele revela como conseguiu aperfeiçoar seus dons para dar início à carreira como médium. Com ensinamentos e depoimentos comoventes, o autor nos ajuda a lidar com a dor da perda, ensinando técnicas para desenvolver o sexto sentido, conhecer nossos espíritos-guias e identificar os sinais que vêm do outro lado. Abra seu coração e deixe este livro mudar para sempre a sua maneira de encarar a vida – e a morte.

Já falei aqui sobre minha vontade de ler um pouco mais sobre o espiritismo e que uma das minhas metas desse ano é exatamente essa, ler mais livros sobre o tema. E um dos escolhidos foi Conversando com os espíritos, um livro que já vi muitas vezes no tempo em que trabalhava em livraria e que sempre me chamou a atenção.

Em seu livro, James Van Praagh conta um pouco seu crescimento e aprendizagem na mediunidade, além disso, fala sobre travessias mais traumatizantes, como acidentes, doenças graves como a AIDS e suicídio. Para facilitar o entendimento o autor exemplifica cada tópico com situações que viveu e sessões que participou, especialmente de pessoas que precisavam muito de sua ajuda, precisavam saber que a pessoa estava bem, mesmo que não mais no plano material. Os relatos são tão bonitos que chegam a  emocionar.

Encontrei algo mais rico e profundo em que acreditar – Deus. E não era o Deus que se sentava em um trono nos céus ou o filho de Deus crucificado. Era o Deus de amor que habitava dentro de mim.

Acho que o livro pode ajudar muito quem sofreu alguma perda na família, ou entre os entes queridos, pois nos ajuda a ver que apesar de sofrermos bastante com a perda, não é o fim, a pessoa ainda vive no plano espiritual e em determinado momento o reencontro acontecerá.

[…] nossa vida presente é uma compilação de nossos pensamentos do passado, de nossas ações e atos, tenham sido positivos ou negativos. Tudo isso trazemos conosco para este mundo.

Por Amanda Padovan

Anúncios

Resenha de Por Lugares Incríveis – Jennifer Niven

IMG_9527

Autor: Jennifer Niven        Editora: Seguinte

Dois jovens prestes a escolher a morte despertam um no outro a vontade de viver. Violet Markey tinha uma vida perfeita, mas todos os seus planos deixam de fazer sentido quando ela e a irmã sofrem um acidente de carro e apenas Violet sobrevive. Sentindo-se culpada pelo que aconteceu, Violet se afasta de todos e tenta descobrir como seguir em frente. Theodore Finch é o esquisito da escola, perseguido pelos valentões e obrigado a lidar com longos períodos de depressão, o pai violento e a apatia do resto da família. Enquanto Violet conta os dias para o fim das aulas, quando poderá ir embora da cidadezinha onde mora, Finch pesquisa diferentes métodos de suicídio e imagina se conseguiria levar algum deles adiante. Em uma dessas tentativas, ele vai parar no alto da torre da escola e, para sua surpresa, encontra Violet, também prestes a pular. Um ajuda o outro a sair dali, e essa dupla improvável se une para fazer um trabalho de geografia: visitar os lugares incríveis do estado onde moram. Nessas andanças, Finch encontra em Violet alguém com quem finalmente pode ser ele mesmo, e a garota para de contar os dias e passa a vivê-los.

Por lugares incríveis conta a história de dois jovens. Violet é uma menina normal, cheia de sonhos, gosta de festas, diversão e é apaixonada pelo cara perfeito. Porém sua vida muda quando sofre um acidente de carro com sua irmã, ela sobrevive, mas sua irmã não, e desde então vive se sentindo culpada. Theodore Finch sempre sofreu de depressão, passa longos períodos sozinho, sem contato com a família e amigos, e esse é um dos motivos de ser perseguido na escola, é conhecido como esquisitão e aberração.

Esses dois jovens se unem por uma vontade em comum, os dois vão para a torre da escola, e estão prontos para pular, mas não imaginavam encontrar um ao outro na mesma situação, e nesse momento se ajudam a sair dali.

“Não é culpa sua. E ficar pedindo desculpa é perda de tempo. Você tem que viver sem arrependimentos. É mais fácil fazer a coisa certa desde o início pra que não tenha que pedir desculpas depois.”

A partir daí Violet não sai da cabeça de Finch e um projeto escolar que tem o objetivo de visitar lugares incríveis de seu estado pode uní-los ainda mais.

O livro alterna entre a narração de Violet e Finch, achei a jovem mais fácil de entender, acho que sua dor, sua culpa, suas emoções são expostas de forma mais clara, já Finch é um pouco mais complicado, a confusão de emoções e a dor do menino são bem complexas, mas não acho isso um defeito, para mim só deixa o livro mais real, porque imagino que seja assim a depressão, uma confusão de sentimentos, emoções e dor.

A história é linda e emocionante, a ajuda que encontraram um no outro, a esperança de encontrar alguém que entenda seus sentimentos e partilhe sua dor, o companheirismo que demonstram, tudo só nos dá mais e mais coisas para refletir. Além disso, Jennifer mostra que a depressão é uma doença como todas as outras e precisa de cuidados, especialmente da família e amigos.

“Não desapareci. Me encontrei.”

Por lugares incríveis não é aquele tipo de livro que a história é um mar de rosas, que tudo dá certo e todos são felizes para sempre, é uma história que se assemelha com a vida real, onde todo mundo tem problemas, onde acidentes acontecem, coisas ruins acontecem e muitas vezes a superação é necessária, uma leitura emocionante, que provavelmente lhe renderá lágrimas e sorrisos, e que vai conquistar seu coração!

“Aprendi que existem coisas boas no mundo, se você procurar por elas. Aprendi que nem todo mundo é uma decepção, incluindo eu mesmo, e que um salto a 383 metros de altura pode parecer mais alto que uma torre do sino se você estiver ao lado da pessoa certa.”

 

Por Amanda Padovan

Resenha de Em Busca da Espiritualidade – James Van Praagh

IMG_9365

Autor: James Van Praagh                      Editora: Sextante

Sinopse:

Em busca da espiritualidade revela os mistérios do mundo espiritual e do processo de reencarnação, mostrando o que acontece na morte e como a alma escolhe o seu renascer.

Reunindo histórias verdadeiras de comunicação após a morte, Van Praagh oferece as chaves para promover nosso crescimento espiritual e de nossos filhos.

Esses tocantes relatos demonstram que até mesmo as cicatrizes emocionais podem ser curadas e que somos capazes de redescobrir nossa natureza espiritual, alcançando a autoconsciência e elevando a autoestima.

Neste livro inspirador e poderoso, Van Praagh ensina exercícios e meditações para nos ajudar a manter o equilíbrio e transformar a vida em uma existência de força, alegria e amor. Em busca da espiritualidade é uma celebração da nossa própria divindade.

Sempre tive curiosidade de ler os livros do James Van Praagh, gosto muito de ler sobre espiritualidade e decidi que essa será uma meta desse ano, ler mais sobre o tema.

Decidi começar com Em busca da Espiritualidade, um livro curtinho e com a leitura bem fácil e rápida. O autor fala sobre a espiritualidade, reencarnação, morte e o plano espiritual. Além disso, James Van Praag fala sobre meditação e dá algumas dicas de como fazer e mostra sua importância para quem busca a espiritualidade.

“Apesar de, às vezes, acharmos que nossas preces não são ouvidas, elas sempre são. E são respondidas. Depende de nós manter a porta de nossos corações aberta para que a luz encontre nela seu caminho.”

O tema é tratado de modo bem simples e direto, com histórias reais vividas pelo autor. Recomendo para quem tem interesse e está começando a ler sobre o mundo espiritual, pois é uma leitura bem básica, não chegando a se aprofundar sobre o tema, apenas dar uma visão geral, o que é muito bom para os iniciantes. Ainda quero ler os outros livros do autor, mas acho que fiz uma boa escolha ao começar por esse.

“Precisamos apenas entender que a morte é uma porta para a vida eterna e que há mais coisas por vir.”

Por Amanda Padovan

Resenha de A Última Carta de Amor

IMG_9147

Autora: Jojo Moyes        Editora: Intrínseca

Londres, 1960. Ao acordar em um hospital após um acidente de carro, Jennifer Stirling não consegue se lembrar de nada. Novamente em casa, com o marido, ela tenta sem sucesso recuperar a memória de sua antiga vida. Por mais que todos à sua volta pareçam atenciosos e amáveis, Jennifer sente que alguma coisa está faltando. É então que ela descobre uma série de cartas de amor escondidas, endereçadas a ela e assinadas apenas por “B”, e percebe que não só estava vivendo um romance fora do casamento como também parecia disposta a arriscar tudo para ficar com seu amante. Quatro décadas depois, a jornalista Ellie Haworth encontra uma dessas cartas endereçadas a Jennifer durante uma pesquisa nos arquivos do jornal em que trabalha. Obcecada pela ideia de reunir os protagonistas desse amor proibido — em parte por estar ela mesma envolvida com um homem casado —, Ellie começa a procurar por “B”, e nem desconfia que, ao fazer isso, talvez encontre uma solução para os problemas de seu próprio relacionamento. Com personagens realísticos complexos e uma trama bem-elaborada, A última carta de amor entrelaça as histórias de paixão, adultério e perda de Ellie e Jennifer. Um livro comovente e irremediavelmente romântico.

A Última carta de amor cruza a história de duas mulheres, Ellie, uma jornalista que está envolvida com um homem casado e que tenta esconder o quanto espera que ele deixe a mulher para que possa ficar inteiramente com ela e Jennifer, que vive no ano de 1960, que acorda em um hospital sem saber como foi parar lá, não lembra de seu marido e nem da sua vida antes do acidente.

A ligação entre as histórias se dá por meio de uma carta que Ellie encontra no depósito do jornal em que trabalha, e que sua chefe quer que descubra a história e escreva uma matéria sobre.

Se tudo o que nos é permitido são horas, minutos, quero ser capaz de gravar cada um deles na memória com perfeita clareza para poder recordá-los em momentos como este, quando minha alma está sombria.”

Continuar lendo

Resenha Um mais um – Jojo Moyes

Hey nerds!

Olha eu aqui outra vez!! Hahahahaha Demorei mas, voltei. Bora pra mais uma resenha?!

IMG_8976

Autora: Jojo Moyes                               Editora: Intrínseca

Sinopse:

Há dez anos, Jess Thomas ficou grávida e largou a escola para se casar com Marty. Dois anos atrás, Marty saiu de casa e nunca mais voltou. Fazendo faxinas de manhã e trabalhando como garçonete em um pub à noite, Jess mal ganha o suficiente para sustentar a filha Tanzie e o enteado Nicky, que ela cria há oito anos. Jess está muito preocupada com o sensível Nicky, um adolescente gótico e mal-humorado que vive apanhando dos colegas. Já Tanzie, o pequeno prodígio da matemática, tem outro problema: ela acabou de receber uma generosa bolsa de estudos em uma escola particular, mas Jess não tem condições de pagar a diferença. Sua única esperança é que a menina vença uma Olimpíada de Matemática que será disputada na Escócia. Mas como eles farão para chegar lá? Enquanto isso, um dos clientes de faxina de Jess, o gênio da computação Ed Nicholls, decide se refugiar em sua casa de veraneio por causa de uma denúncia de práticas ilegais envolvendo sua empresa. Entre ele e Jess ocorre o que pode ser chamado de ódio à primeira vista. Mas quando Ed fica bêbado no pub em que Jess trabalha, ela faz questão de deixá-lo em casa, em segurança. Em parte agradecido, mas principalmente para escapar da pressão dos advogados, da ex-mulher e da irmã — que insiste em que ele vá visitar o pai doente, Ed oferece uma carona a Jess, os filhos e o enorme cão da família até a cidade onde acontecerá o torneio. Começa então uma viagem repleta de enjoos, comida ruim e engarrafamentos. A situação perfeita para o início de uma história de amor entre uma mãe solteira falida e um geek milionário.

Comecei a leitura sem esperar muito do livro, talvez pela capa tão simples, ou porque não tinha lido a sinopse para me preparar, mas fiquei maravilhada com a história! Foi uma grata surpresa!

Jess é uma mulher batalhadora, trabalha dia e noite para cuidar da filha e do enteado, a quem trata como filho, sozinha desde que o marido saiu de casa. Os dois filhos convivem com o bullying, Tanzie por gostar de se vestir com roupas brilhantes e coloridas e por sua inteligência fora do normal e Nicky por ser gótico, usar maquiagem e por suas roupas.

“Pior do que a luta interminável e exaustiva que minava as finanças e as energias, era que ser chefe de família sozinha quando se estava totalmente despreparada para isso era, de fato, a posição mais solitária da terra.”

Ed é um homem inteligente e rico que se meteu em uma encrenca enorme quando tentava fugir de sua “namorada”.

As vidas de Ed e Jess se encontram quando Tanzie tem a oportunidade de entrar para uma escola muito boa, mas para isso precisa ganhar um concurso de matemática na Escócia. Sem dinheiro para as passagens e com sua péssima habilidade ao volante, a mãe aceita a carona que Ed oferece e essa viagem será repleta de aventuras e descobertas.

O livro é lindo, Jess é um exemplo de mulher, de mãe, de pessoa, é claro que comete erro, mas quem não comete, né? O amor e cuidado que ela tem com os filhos é admirável! Já no Ed fica claro o amadurecimento no desenrolar da trama. Fiquei encantada com a escrita da autora, com a delicadeza da história e com a carga emocional que o livro traz.

Um mais um é uma linda história de recomeços, mostra que, às vezes, precisamos parar, pensar, ver o que erramos e começar de novo. Também é uma história de superação e aceitação, um livro maravilhoso e uma leitura indispensável!

“Quero ficar com você. Sei que metemos os pés pelas mãos nisso, mesmo assim me sinto mais certo errando com você do que normalmente me sinto quando, em tese, está tudo certo e estou sem você.”

Por Amanda Padovan

Resenha Mr. Mercedes – Stephen King

IMG_7195

Autor: Stephen King             Editora: Suma de Letras

Ainda é madrugada e, em uma falida cidade do Meio-Oeste, centenas de pessoas fazem fila em uma feira de empregos, desesperadas para conseguir trabalho. De repente, um único carro surge, avançando para a multidão. O Mercedes atropela vários inocentes, antes de recuar e fazer outra investida. Oito pessoas são mortas e várias ficam feridas. O assassino escapa. Meses depois, o detetive Bill Hodges ainda é atormentado pelo fracasso na resolução do caso, e passa os dias em frente à TV, contemplando a ideia de se matar. Ao receber uma carta de alguém que se autodenomina o Assassino do Mercedes, Hodges desperta da aposentadoria deprimida, decidido a encontrar o culpado. Mr. Mercedes narra uma guerra entre o bem e o mal, e o mergulho de Stephen King na mente obsessiva e psicótica desse assassino é tão arrepiante quanto inesquecível.

O detetive Bill Hodges se aposentou, mas nunca conseguiu esquecer os casos não resolvidos que deixou para trás, então passa os dias em frente a televisão com a arma do pai pensando em acabar com a sua vida, até que recebe uma carta, o remetente se autodenomina o Assassino do Mercedes, um dos caras que ele não pegou, um assassino que dirigiu um mercedes e atropelou várias pessoas em uma feira de empregos.

E é nesse momento que Hodges decide que vai resolver esse caso e pegar o bandido, mesmo já estando aposentado. Mal sabe ele que o que Brady, o Assassino do Mercedes, tem em mente é fazer com que o detetive aposentado se suicide.

Quem atingirá seus objetivos, o velho detetive ou o assassino maluco?

“A maioria das pessoas recebe Botas de Chumbo quando criança e precisa usá-las pelo resto da vida. Essas Botas de Chumbo são chamadas de CONSCIÊNCIA. Não tenho isso, então me permito fazer muito mais coisas do que a Galera Normal.” Pág. 29

Achei o início do livro um pouco parado, mas conforme vamos conhecendo melhor os personagens a história vai ficando mais envolvente, o detetive Hogdes é um cara que se dedicou totalmente ao trabalho, deixando de lado até mesmo a família, e acabou ficando sem nada depois da aposentadoria. Já Brady é completamente louco, gosta de lembrar que foi o responsável por várias mortes e se sente bem vendo o sofrimento alheio.

Mr. Mercedes é mais um livro incrível do Stephen King, é dividido em partes e tem capítulos curtos e rápidos de ler. A capa é bem simples, mas muito bonita e as folhas amareladas facilitam a leitura. É o primeiro volume da trilogia e foi um ótimo começo, mal posso esperar para ler os outros!

“É que de vez em quando eu esbarro em alguém com a cabeça mais fodida do que a minha – responde ela. – Isso me alegra. É horrível, eu sei, mas não consigo evitar. ” Pág. 351

Por Amanda Padovan

Resenha de P.S. Ainda Amo Você

IMG_8731

Autora: Jenny Han                Editora: Intrínseca

Lara Jean sempre teve uma vida amorosa muito movimentada, pelo menos na cabeça dela. Para cada garoto por quem se apaixonou e desapaixonou platonicamente, ela escreveu uma bela carta de despedida. Cartas muito dela, muito pessoais, que de repente e sem explicação foram parar nas mãos dos destinatários. Em “Para todos os garotos que já amei”, Lara Jean não fazia ideia de como sair dessa enrascada, muito menos sabia que o namoro de mentirinha com Peter Kavinsky, inventado apenas para fugir do total constrangimento, se transformaria em algo mais. Agora, em “P.S.: Ainda amo você”, Lara Jean tem que aprender como é estar em um relacionamento que, pela primeira vez, não é de faz de conta. E quando ela parece estar conseguindo, um garoto do passado cai de paraquedas bem no meio de tudo, e os sentimentos de Lara por ele também retornam. Uma história delicada e comovente que vai mostrar que se apaixonar é a parte fácil: emocionante mesmo é o que vem depois.

Depois de um namoro de mentirinha que acabou revelando sentimentos desconhecidos, Peter e Lara Jean começam um namoro real, é a primeira vez que a garota está em um relacionamento de verdade e é muito mais difícil do que parece. É quando o ciúme, as inseguranças e dúvidas aparecem, e até uma carta em resposta à uma daquelas que a irmãzinha de Lara Jean colocou no correio.

Será que esse novo correspondente pode mudar alguma coisa na cabeça de  Lara Jean? Ou no coração?

“Às vezes, gosto tanto de você que não consigo suportar. É um sentimento que vai crescendo e crescendo dentro de mim, e parece que vou explodir.” Pág.10

O casal continua apaixonante, apesar de sempre achar que eles fazem algumas escolhas erradas e de ter vontade de estrangulá-los às vezes, muitos momentos me renderam vários suspiros. Além disso, a amizade e cumplicidade entre as irmãs continua sendo incrível e todo o apoio e carinho do pai de Lara Jean também.

“Se as duas pessoas estão destinadas a ficar juntas, elas vão encontrar o caminho uma até a outra.” Pág. 117

O livro é lindo, os relacionamentos na adolescência nem sempre são fáceis, e Lara Jean e Peter nos mostram isso, confesso que ri, chorei e torci com todas as reviravoltas e terminei ainda mais apaixonada pelo casal.

Então, se você já leu Para todos os garotos que já amei, leia P.S. Ainda amo você também! Nosso casal preferido ainda continua maravilhoso! A edição é linda, a capa perfeita, folhas amareladas, agradáveis para a leitura e uma escrita envolvente!

“Vamos fazer isso direito, Lara Jean. Vamos com tudo. Chega de contrato. Chega de rede de segurança. Pode partir meu coração. Faça o que quiser com ele.” Pág. 298

Por Amanda Padovan

 

Resenha Princesa das Águas – Paula Pimenta

IMG_8553

Autora: Paula Pimenta      Editora: Galera Record

Sinopse:

Arielle Botrel é uma nadadora famosa, prestes a viver o maior desafio de sua existência: participar das Olimpíadas pela primeira vez. Porém, ao contrário do que todos pensam, ela não possui tudo que deseja. Por ser a filha caçula de uma grande família, a garota é muito protegida e, apesar das medalhas e dos troféus, sonha com um cotidiano diferente, onde possa ser livre. Até que um dia um acidente faz tudo mudar. Arielle é apresentada a um mundo novo… E nele existe alguém que vira sua vida de cabeça para baixo. Porém, para conquistá-lo, ela terá que abrir mão de sua voz. Será que Arielle – sem uma única palavra – vai conseguir conquistar esse príncipe? E se no coração dele já existir outra princesa?

Arielle é uma nadadora excelente, a mais jovem brasileira que irá participar das Olimpíadas, e treina desde pequena para isso. Seu pai foi um nadador famoso e sua mãe uma cantora incrível, que morreu devido a complicações no parto de Arielle, todas as suas irmãs seguiram o caminho da mãe e formaram uma banda, mas a caçula, que é a mais parecida com ela, decidiu seguir o caminho do pai, pois toda vez que cantava o fazia se sentir mal.

E foi por esse motivo que escondeu sua paixão pela música e se dedicou totalmente as piscinas, porém toda a pressão nos treinos e com pai e o treinador controlando tudo o que faz e proibindo qualquer tipo de diversão, ela fica em dúvida se é esse caminho que quer seguir.

“Como sabia quem eu era de verdade se a vida inteira fui criada praticamente em um aquário, sem ter conhecimento que existia um oceano do lado de fora? O que será que o mundo reservava para mim?” Pág.48

Depois de um conselho de uma de suas irmãs, Arielle decide que quer conciliar seus treinos e a natação com uma vida de verdade, e durante uma viagem para Suíça, onde participou de uma competição, ela recebe um convite para uma festa e decide ir, mesmo sem a permissão de seu pai e treinador. Lá acaba vendo Erico, um garoto muito lindo e salva sua vida quando ele bate a cabeça e cai em uma piscina.

Arielle pede ajuda ao seu treinador e some enquanto o garoto recebe ajuda médica, o que ela não esperava é que quando acordasse o garoto lembrasse que foi salvo por uma menina que cantou para ele. Erico pede nas redes sociais que a moça que o salvou apareça para que possa agradecê-la, porém a nadadora tem medo de se mostrar e virar mais uma notícia na mídia.

Meses depois Arielle e Erico se encontram em uma gincana antes da Olimpíadas e ela sonha conquistá-lo, mas para isso ela vai ter que lidar com seus segredos e com muita inveja.

“Eu só esperava que ele melhorasse logo. Algo me dizia que meu mundo nunca mais seria o mesmo depois de ter mergulhado naqueles olhos azuis.” Pág. 66

Princesa das Águas é uma releitura da história da pequena sereia, um livro muito fofo, uma história encantadora. Confesso que a protagonista tem a mesma inocência inacreditável das histórias de princesas que nos dá vontade de bater na cara dela e dizer: Sério que isso está acontecendo na sua car e você não está vendo? Porém, é tão envolvente que te faz torcer pela personagem e rir e chorar com ela.

Esse é o terceiro livro com releitura de história de princesas que a Paula Pimenta lançou e, assim como com os outros dois, eu amei! A capa está linda e a edição impecável, como já se espera da Galera Record. É aquele livro que você lê em um dia e termina com um sorriso no rosto e com o coração feliz.

“Eu só queria a minha vida de volta… Na verdade, uma vida da qual eu nunca tinha sido a dona realmente, pois se ela fosse totalmente minha, eu poderia decidir o que fazer com os meus dias.” Pág. 107

Por Amanda Padovan

Resenha Antes que eu vá

IMG_8269

Autora: Lauren Oliver          Editora: Intrínseca

SINOPSE:

Samantha Kingston tem tudo: o namorado mais cobiçado do universo, três amigas fantásticas e todos os privilégios no Thomas Jefferson, o colégio que frequenta — da melhor mesa do refeitório à vaga mais bem-posicionada do estacionamento. Aquela sexta-feira, 12 de fevereiro, deveria ser apenas mais um dia de sua vida mágica e perfeita. Em vez disso, acaba sendo o último. Mas ela ganha uma segunda chance. Sete “segundas chances”, na verdade. E, ao reviver aquele dia vezes seguidas, Samantha desvenda o mistério que envolve sua morte — descobrindo, enfim, o verdadeiro valor de tudo o que está prestes a perder. … Em uma noite chuvosa de fevereiro, Sam é morta em um acidente de carro horrível. Mas em vez de se ver em um túnel de luz, ela acorda na sua própria cama, na manhã do mesmo dia. Forçada a viver com os mesmos eventos ela se esforça para alterar o resultado, mas acorda novamente no dia do acidente. O que se segue é a história de uma menina que ao longo dos dias, descobre através de insights desoladores, as consequências de cada ação dela. Uma menina que morreu jovem, mas no processo aprende a viver. E que se apaixona um pouco tarde demais.

Sam já foi uma daquelas pessoas de quem os populares riem, mas isso mudou, agora ela faz parte dos populares, namora o bonitão da escola, tem as amigas que fazem sucesso entre os alunos e estão nas melhores festas. E é depois de uma dessas festas que Sam morre, mas ela não vê a luz, nem relembra os momentos mais marcantes da sua vida, ela simplesmente acorda e esta novamente no dia do acidente e o dia todo parece um grande déjàvu.

“Fecho os olhos e prometo a mim mesma que jamais me esquecerei daquele momento: do som da risada das minhas amigas, do calor de tantos corpos e do cheiro de chuva.”

O que ela não imaginava é que ia reviver sete vezes seu último dia de vida, e a cada dia ela tem a oportunidade de mudar alguma coisa, tentar melhorar, se desculpar e talvez até se apaixonar.

Antes que eu vá tem uma linguagem simples, com personagem que não foram feitos para nos encantar, a protagonista apesar que não ser tão má, não é um anjo também, muitas vezes se mostrou egoísta, fútil e indiferente, mas não é a única, os personagens secundários seguem a mesma linha, até os personagem que sofriam com o bullying são cheios de defeitos. Ao longo do livro percebemos e começamos a entender os personagens, seus medos e inseguranças e nos dá a chance de refletir sobre as consequências de cada ato, de cada escolha que fazemos.

A leitura não foi tão rápida quanto planejei, por várias vezes as personagens me irritaram fortemente, ou achava a história um pouco repetitiva (obviamente por ser sete vezes o mesmo dia), mas em nenhum momento pensei em desistir da leitura.

“Gosto de pensar em como a vida é engraçada: como tanta coisa muda. Como as pessoas mudam.”

O livro de Lauren Oliver é sobre segundas chances, porque é isso que Sam tem, uma segunda chance, a chance de resolver coisas do passado, de se conhecer, de conhecer seus amigos, a chance de se libertar de qualquer culpa que possa carregar. Não posso dizer que entrou para minha lista de favoritos, mas foi uma leitura agradável e que me rendeu bons momentos de reflexão.

“Eis uma coisa que aprendi naquela manhã: se você ultrapassa um limite e nada acontece, o limite perde o sentido.”

Agora o motivo de ter colocado essa leitura na frente de todas as outras é que vai sair o filme! Eu adoro ler o livro antes de assistir ao filme, pois consigo me conectar melhor com a história. E aí, alguém já leu? Ou planeja ver o filme?

Por Amanda Padovan

Resenha Os 13 porquês

img_7725

Autor: Jay Asher         Editora: Ática

Ao voltar da escola, Clay Jensen encontra um misterioso pacote com várias fitas cassetes. Ele ouve as gravações e se dá conta de que foram feitas por uma colega de classe que cometeu suicídio duas semanas antes. Nas fitas, ela explica que 13 motivos a levaram à decisão de se matar. Clay é um deles. Agora ele precisa ouvir tudo até o fim para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento.

Eu sempre tive vontade de ler esse livro, mas quando vi o trailer da série não pude mais esperar, comecei na hora!

Clay Jensen recebe sete fitas cassetes que mudarão sua vida, em cada lado de cada fita Hannah, a menina por quem foi apaixonado, conta os 13 porquês de ter se suicidado, e cada porquê tem uma pessoa  como responsável. A regra é clara, cada um receberá as fitas, terá que ouvir o motivo de estar nela e passar para a próxima pessoa.

O mais engraçado dessa história é que desde o começo você sabe que Hannah está morta e mesmo assim você torce para que no final alguma coisa aconteça e ela apareça sã e salva. Porém esse não é um livro sobrenatural, nem de fantasia, então nem adianta ter esperanças, tá?

Esse livro te faz pensar nas suas ações, coisas pequenas, ou nem tão pequenas assim que podem magoar uma pessoa e ser um motivo a mais para que ela decida cometer um ato tão extremo. E quantas Hannahs não existem por aí, né? Quanta gente passa por situações difíceis na escola, no trabalho, na família, com quantas Hannahs você já pode ter cruzado na rua?

Os 13 porquês também te faz refletir sobre as pessoas que ficam, as pessoas que tiveram contato com um suicida, que participaram de sua vida e não perceberam que ele cometeria tal ato.

É uma leitura que flui rapidamente e que te deixa totalmente curioso para saber quais são os 13 motivos, que te deixa emocionado com os relatos da protagonista e muitas vezes com raiva do que aconteceu com ela. Uma leitura que recomendo demais, principalmente para quem está na escola, onde na maioria das vezes rola bullying e boatos falsos que podem levar a depressão se o jovem não tiver amparo e apoio da família, amigos e de profissionais.

Então, se você pretende ver a série, dá uma lida antes, e se não vai assistir, leia assim mesmo, pois tenho certeza que vai te gerar muita reflexão!

Vou deixar o trailer aqui pra dar mais vontade:

Por Amanda Padovan